segunda-feira, 15 de Setembro de 2014

Concurso no Museu

O Museu Nacional de História Natural e da Ciência organiza concursos de Literatura e de Pintura/Desenho. 
Estes concursos, que decorrem em setembro e outubro de 2014, visam sensibilizar a comunidade para conhecer, preservar e valorizar o Museu Nacional de História Natural e da Ciência e o Jardim Botânico do museu.

Para mais informações consulta o regulamento em:
http://www.mnhnc.ulisboa.pt/pls/portal/docs/1/466659.PDF

domingo, 14 de Setembro de 2014

Os portugueses introduziram a espingarda no Japão

Sabias que foram os portugueses que introduziram as primeiras armas de fogo no Japão? A responsabilidade pertencerá a um grupo de portugueses que, em 1543, após uma tempestade aportou na ilha de Tanegashima.
O português Fernão Mendes Pinto, autor do livro "A Peregrinação", apresenta-se como um dos responsáveis por este acontecimento, numa das suas muitas aventuras pelo oriente. 
Para mais informações vê o vídeo disponível em www.ensina.rtp.pt. Segue o link em baixo.

Os portugueses introduziram a espingarda no Japão
 As primeiras armas de fogo no Japão

Portugueses no Japão

quarta-feira, 10 de Setembro de 2014

Novas descobertas em Stonehenge


Um dos monumentos mais reconhecíveis do mundo, o cromeleque de Stonehenge, revelou mais algum dos seus segredos.
Esta construção megalítica, do sul de Inglaterra, tem uma forma circular e, sobre ela, há anos abundam várias explicações, umas mais científicas do que outras, mas todas elas expressam a grande curiosidade que sobre estas construções existem.
Um dos últimos estudos foi realizado ao longo de quatro anos, com técnicas de topografia e o recurso a laser, magnetómetros e outras tecnologias Conseguiram imagens de alta resolução do que está por baixo das pedras de Stonehenge, e à volta delas, em alguns casos até quatro metros de profundidade.
A equipa revelou uma série de grandes estruturas até agora desconhecidas, em pedra e em madeira, e que permitem concluir que o icónico monumento pré-histórico esteve outrora rodeado de muitos outros monumentos de diversa dimensão e natureza.
Um dos edifícios agora revelado, e que já foi oficiosamente batizado de “casa dos mortos”, é um templo em madeira, com 33 metros de comprimento e sete de largura, provavelmente usado para práticas de manipulação ritual de cadáveres. Os cientistas estão convencidos de que esta estrutura terá sido construída há seis mil anos, o que a tornaria muito mais antiga do que Stonehenge, cujas primeiras pedras terão sido erguidas há cerca de cinco mil anos.

Para mais informações procura em: 


http://www.bbc.com/news/science-environment-29126854#sa-ns_mchannel=rss&ns_source=PublicRSS20-sa


Stonehenge 
Stonehenge na atualidade (in  www.bbc.com)

Stonehenge monuments 
Imagem das estruturas encontradas no sub solo (in www.bbc.com)

terça-feira, 9 de Setembro de 2014

Duas cariátides descobertas numr túmulo antigo na Grécia



Duas cariátides hieráticas, estátuas de mulheres vestidas com trajes drapeados, foram descobertas na entrada do misterioso túmulo encontrado na Grécia, em Anfípolis, onde elas guardam o acesso. Este túmulo foi descoberto na região da Macedónia, a 600 quilómetros para nordeste de Atenas e a 100 quilómetros de Salónica.
Nas fotos divulgadas, vê-se a sair da terra, até meio do busto, duas figuras femininas, cujos cabelos caem sobre os ombros, vestidas com uma túnica com mangas. As cabeças das estátuas sustêm um entablamento. “O braço esquerdo de uma e o direito da outra estão colocados de forma a interditar simbolicamente o acesso ao túmulo”, as estátuas têm 60 centímetros de altura por 20 de largura.
Desde meados de Agosto que os arqueólogos avançam em direção ao coração deste impressionante túmulo, rodeado por um muro de mármore de 497 metros de comprimento, datado de entre 330 a.C. e 300 a.C., ou seja, da era de Alexandre, o Grande (356-323 a.C.).
Antes das cariátides, tinham sido encontradas à entrada do túmulo duas esfinges imponentes. Um chão de mosaicos, com delicados ornamentos coloridos, e capitéis de colunas esculpidos foram igualmente descobertos, segundo as informações do ministério, que emite regularmente comunicados e revela imagens, criando suspense. 
As hipóteses quanto à identidade da personagem lá enterrada vão desde Roxane, a mulher persa de Alexandre, Olímpia, a mãe do rei, ou um dos seus companheiros e generais. A probabilidade de o túmulo de Anfípolis ser o de Alexandre são quase nulas, porque após a sua morte, aos 32 anos, na Babilónia, os restos mortais terão sido levados para Alexandria, no Egipto, embora nenhuma escavação tenha, até agora, confirmado este cenário.